5+ DICAS PARA PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL

PUBLICADO EM 22/02/2019

A obesidade é hoje uma doença nutricional cada vez mais presente em crianças e adolescentes em todo o país. Muitas conseqüências significativas da obesidade podem afetar gravemente a saúde das crianças, adolescentes e adultos. Nest post vamos conhecer as causas, consequências e dicas de prevenir a obesidade infantil.

 obesidade infantil

OBESIDADE INFANTIL NO BRASIL

A alimentação da criança é o ponto chave de sua saúde e cuidar dela desde cedo deve ser uma prioridade por parte dos pais. A obesidade infantil pode levar ao surgimento de doenças graves, como diabetes e hipertensão, que exigem um tratamento ao longo da vida. No Brasil da atualidade a obesidade infantil já pode ser encarada como um problema crônico.  Em 2018, a OMS estimou um número de 41 milhões de crianças com menos de 5 anos acima do peso.
De acordo com dados da Fiocruz cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes sofrem de problemas de obesidade, e 8 em cada 10 adolescentes continuam obesos na fase adulta. Devido a hábitos alimentares incorretos, sedentarismo (acesso ilimitado a (computadores, televisão, videogames, etc.), genética entre outros, as crianças ganham peso com facilidade. A obesidade é sim uma doença que o Brasil está enfrentando e que precisa ser avaliado e encarado com determinação e cuidado. O ideal é que se seu filho está nessa situação de obesidade procure orientação médica o mais breve possível, pois quanto mais cedo for tratada maiores as chances de controle e mudança do quadro. Não espere seu bebê, sua criança ou seu adolescente crescer mais para procurar ajuda, muitas vezes pode ser tarde, ou seja, podem surgir doenças e problemas de saúde como colesterol alto em crianças bem pequenas.  

COMO PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL

https://cursodebaba.com/images/obesidade-infantil.jpg

Como vimos nunca é cedo demais para procurar ajuda médica no combate a obesidade infantil ou na adolescência. É totalmente possível prevenir a obesidade infantil, mas é preciso um plano!

Cuide-se primeiro: a obesidade materna ou paterna podem ser um problema, ninguém precisa ter um corpo esteticamente perfeito, mas os pais são exemplos para os filhos. De nada adianta você querer tomar medidas para administrar o peso de seu filho se os maiores exemplos dentro de casa estão obesos. Cuide-se e aí sim incentive toda a família a fazer o mesmo!

Exercícios físicos: é preciso manter-se ativo, realizar exercícios físicos regularmente, uma ideia muito legal é realizar alguma atividade física junto com a o filho ou a filha. Se não for possível procurem uma atividade que dê prazer, pode ser qualquer uma, o importante é escolher algo prazeroso para isso se tornar regra para toda a vida.  Mais uma vez é importante que a criança veja os pais bem ativos, seja fazendo uma corrida ou mesmo pilates em casa.

Planejamento: pense no seu dia e o planeje, principalmente suas refeições e lanchinhos para garantir que você não esteja procurando as calorias mais próximas em um momento de pressa para sair. Muitas vezes passar algumas horas cozinhando uma porção de refeições, como sopas ou comidas saudáveis no domingo, pode contribuir para agilizar seu dia a dia durante a semana e ainda prevenir que você e sua família ganhem calorias sem necessidade.


Jantar em familía: o jantar em família pode não ser uma opção todas as noites, mas sempre que puder é importante fazer pelo menos uma refeição em família, mostrando aos filhos os prazeres de estar junto à mesa.

Evite doces: é importante que os bebês tenham uma alimentação livre de açúcar, podendo ingerir apenas o açúcar dos próprios legumes (cenoura) e frutas. Muitas vezes os vícios em doces e chocolates que vemos em muitas crianças obesas mais tarde são frutos de lanches adoçados artificialmente. em vez de doces inteiros e reais, como frutas.

Evite ao máximo fast food: se você comer frutas, legumes, alimentos integrais e ricos em nutrientes, como grãos integrais, carnes magras e vegetais, seu filho também. Quanto menos contato eles tiverem com restaurantes e lanchonetes do tipo ‘fast food’, menos vontade terão desse tipo de comida processada.

 obesidade infantil

OBESIDADE INFANTIL E NA ADOLESCÊNCIA [CONSEQUÊNCIAS]

Discriminação e bullying: A discriminação contra crianças com excesso de peso começa cedo na infância e se intensifica na adolesência através do que denominamos de bullying.

Problemas cardíacos: muitas das consequências cardiovasculares que caracterizam a obesidade na idade adulta são precedidas por anormalidades que começam na infância. A relação do risco cardiovascular com a gordura visceral independente da gordura corporal total ainda não está clara.

Diabetes tipo 2: devido a obesidade pode ocorrer aumento da insulina e piorar a sensibilidade à glicose, levando ao diabetes tipo 2.

Doenças hepáticas: a obesidade é a principal causa de esteatose hepática e pedras na vesícula em crianças e adolescentes.

A mudança no estilo de vida da família é a principal ferramenta para a redução e controle do peso. É possível reverter um quadro de obesidade infantil, na adolescência ou mesmo na vida adulta a partir de mudança de hábitos, reeducação alimentar e atividade física.  

 

Veja também: https://saude.abril.com.br/medicina/10-grandes-ameacas-a-saude-em-2019-segundo-a-oms/

 

Compartilhar
Mais Notícias